logo

p9

"Regressámos de Viena a Lisboa no domingo à noite. À exceção do último dia, apanhámos sempre muito calor, da ordem dos 30/35 ºC. Eu bebia litros de água e raramente tinha vontade de urinar. Já tinha estado em Viena por duas vezes, é uma cidade que merece a pena visitar. Não é muito grande como Paris ou Londres mas tem muito para ver, andando simplesmente na rua.

O hotel estava muito afastado do centro (aspeto negativo) mas estava junto a uma floresta e era de boa qualidade. Foi bonito ter a janela do quarto aberta e estar sempre a ouvir os passarinhos. E ainda treinei por lá duas vezes. Foi a nossa primeira saída pelo Clube e foi bom. Muito obrigado! Péssimo foi o serviço da TAP. Para lá, o avião saiu com 2h34m de atraso. Quando muita gente já estava dentro dele e nós estávamos na escada de acesso, mandaram toda a gente embora. Havia uma grande fuga de combustível numa asa do avião, que caía para o chão. Era um cheiro intenso a combustível. Como foi possível deixarem o avião chegar aquele estado? E no regresso, mais um atraso, agora de 54 minutos. Aqui, a desculpa foi do tráfego aéreo. Mas pelos vistos, o problema só existia para a TAP porque no quadro eletrónico, só vi o avião da TAP com atraso na partida.

Como não é a primeira vez que fico mal servido pela TAP, no futuro gostaria de evitar aquela companhia. Por grande sorte, apanhámos no penúltimo dia um grande desfile do movimento LGTB. Segundo a imprensa, terão participado cerca de 500 mil pessoas! Estivemos no início e no fim do desfile, foram mais de cinco horas a desfilar. Vimos de tudo, desde dois homens nus a raparigas com as mamas à mostra, apenas pintadas. Uma delegação portuguesa com 6 adultos e um jovem com um cartaz a promover Portugal como candidato ao desfile em 2021. E um casal nu mas com parras a tapar os sexos, com ela a estar grávida.

Houve muito exibicionismo, muitos gays e lésbicas (mais eles) a darem nas vistas, puro exibicionismo. Muitas vezes, a parada mais parecia um desfile carnavalesco. Não tenho nada a ver com as opções sexuais de cada um, não me interessa saber se a minha vizinha é lésbica ou o meu vizinho é gay, desde que me respeitem. A maioria dos participantes eram jovens, talvez na casa dos 80/90%. Mas chocou-me ver tantas gaiatas de 13/14 anos lésbicas. Para um jovem como eu com 88 anos , que ainda faço umas maratonas de 10km sem me cansar foi interessante e está de ganho por agora parabéns a DELLASOL !
"